Qual não foi minha surpresa?


Tava lá… quietinha… cuidando da minha anemia quando de repente, não mais que de repente, descubro que estou grávida, de novo rs.

Vinha falando com a maria, que pedia irmão a cada segundo e eu assegurava a ela que ela não o teria… que infelizmente não poderia dar um irmão a ela por questões financeiras, emocionais, psicológicas rs… Trabalhar fora, não estar lá qdo ela precisa, imaginar que ela poderia sofrer de ciúmes, vitórias dolorosas recentes… e muitas outras razões.

Mal sabia ela que, como toda criança, ela tinha contatos quentes para esse seu pedido.

Em dezembro de 2016, eu e o Luiz descobrimos, abismados, que seriamos país novamente. Um misto de ‘UAU’ e ‘E AGORA?’ estava estampado em nossos rostos… por alguns segundos incrédulos ficamos sem respirar…

Depois de toda a surpresa (que para ser sincera, até hoje com 27 semanas, ainda não passou totalmente), contamos à Maria. Lóooooogico que ela ficou super feliz e, mais que rapidamente me perguntou: ‘Será uma menina ne?’ – {Como bagagem para futura referência, minha família só tem meninas, homens nunca foram vistos rs…. (só os ‘agregados’, claro).}

Ai começamos a correria dos exames para confirmar o exame de farmácia (uhum) e a procura de médicos que o convênio cobrisse…

Como estávamos perto do Natal, a ideia era segurar o segredo até a noite de Natal e dar de presente chupetas para noticiar o novo integrante da família.

Mas como fazer isso? Como conversar com a sua mãe, sabendo que está grávida, e não contar? Resultado, acabamos contando antes. Compramos uma chupeta para minha mãe e para cada uma das minhas irmãs, colocamos dentro de uma caixinha de joia e entregamos em um dia comum.

A reação foi engraçada, como era uma certeza que não teríamos outros filhos, a reação demorou um pouco para ser processada em ‘estamos grávidos’.

Claro que a família não poderia estar mais feliz, todo mundo comemorou, mas para ser sincera, eu ainda estava com o sentimento ‘E AGORA?’.

A segunda gravidez é diferente da primeira… não só pq cada gravidez é de um jeito, mas pq vc tem seu primeiro filho no cenário. Então, o que você fazia na primeira gestação como descansar, dormir e curtir a barriga, não acontece com tanta frequência. Pelo menos não para mim ou para outras pessoas que tenha conversado. Isso combinado com todos os sentimentos misturados… acabei curtindo menos ainda.

Uma das muitas preocupações era como ia informar no trabalho. Estava lá a menos de 1 ano e sentia como se estivesse traindo a empresa… Meu gestor estava de férias e tive que esperar ele retornar para falar com ele… Conviver com seus colegas sem contar esse GRANDE ACONTECIMENTO tb foi complicado…

Graças a Deus, quando fui informar meu gestor, não poderia ter sido melhor recebida e compreendida. (Deixo aqui meu profundo agradecimento).

Como fiz na gravidez da Maria, resolvemos fazer sexagem fetal pq tínhamos que nos planejar se teríamos que montar o enxoval do zero ou se pegaríamos das meninas. Com a bagagem que infomei anteriormente, tinha quase que certeza de que seria menina.

Falam que quando é menino, o resultado da sexagem é mais rápida, pq se o Y aparece, pronto. Já quando é menina, demora mais… pq ficam investigando se não tem Y mesmo.

O meu exame demorou ANOSSSSSSSSSSSSSSS, eu entrava de segundo a segundo para ver se o resultado havia saído. No dia do aniversário do Luiz, eu entrei e TCHANAM, o resultado saiu.

Havia prometido ao Luiz que só abriria com ele… mas CLARO, que liguei na mesma hora e o convenci que iria morrer se não visse na mesma hora.

Abri e gelei… li e reli aquele exame umas mil vezes até processar que, realmente, era meninO. Não me entendam mal… ter menino é uma benção como ter uma menina, mas o medo tomou conta de mim… ‘Vou saber cuidar de um menino?’ (essa frase está comigo since that day. E acho que levará um tempo para ir embora, mesmo depois de seu nascimento).

Demorei um tempo para começar a curtir a gravidez, me permitir deixar as preocupações de lado e realmente focar que ESTOU GRÁVIDA. Mas, como somos rodeados de pessoas especiais, uma amiga (RE M.) me mostrou a música 9 meses. Sério, mudou minha vida. Mudou minha visão e meus pensamentos. Preocupações a parte, me permiti curtir, falar, dar carinho para meu querido menino. (MUITO OBIGADA, RE.)

Estamos com 27 semanas, sim, passou muito rápido, e ele está cada dia mexendo mais… que benção maravilhosa que recebemos…

As preocupações ainda fazem parte e estão presentes, talvez até presentes demais, mas tenho me policiado mais para não ficar só com eles… para passar coisas maravilhosas para esse anjo que nos escolheu como pais. (Meu lindo, muito obrigada por esse voto de confiança, espero nunca te decepcionar).

Quis escrever esse texto para colocar para fora muitas culpas e sentimentos que não externalizei, mas que ficando presos em mim, me deixavam mais pesada…  Aliás, não vamos fazer de pesada ne? Rs

Maria, amor da minha vida, obrigada por conversar com seus contatos lá de cima e fazer acontecer rs. #TCHAMOINFINITO, você me enche de orgulho a cada segundo.

Anúncios

~ por renatalara em 23/05/2017.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: